camera

Apple iSight camera

by setembro 12, 2018 10:33 am

Em 2004 acabava de ser lançado o IMac G4, aquele Mac com uma base branca redonda com uma saída de som e uma porta para a mídia cd-rom, na época câmeras eram algo muito complexo para ser imbutido junto à um monitor de alguns centímetros de espessura, o que hoje é algo composite ver pequenas lentes em telas com milímetros de espessura.

A Apple ainda não tinha planos para o iPhone, que só seria lançado depois de três anos, em 09 de Janeiro de 2007, mas a webcam lançada por Steve jobs teria o mesmo nome das câmeras produzidas para caber em um smartphone, iSight Camera.

Em 2004 vídeo conferências não eram tão populares, FaceTime era um aplicativo vendido na AppStore e custava alguns dólares, chats onlines não eram tão rápidos e costumavam ser mais populares com trocas de mensagens, vídeo era algo que requeria uma internet veloz.

Hoje aplicativos como snapchat e Instagram se baseiam na facilidade em gravar pequenos vídeos e em publicar-los durante algumas horas ou guardar para posteridade, mas quando essa tecnologia chegava antes de todas as redes sociais, gravar vídeos era uma atividade pouco usual para quem não tinha com quem compartilhar esses arquivos.

 

Com uma resolução de 480p (640×480) gravadas por uma câmera com resolução VGA e uma lente 50mm com abertura focal de 2.8 (f), essa webcam era o que tinha de mais moderno e poderoso em câmeras digitais portáteis com esse tamanho, quando a Sony lanou sua linha de câmeras cybershoot foi uma das primeiras a vislumbrar o futuro da fotografia digital em resoluções de qualidade que competirem com a tradicionais fotografia analógicas, fazendo com que se tornasse obsoleto a pratica de usar filmes fotográficos e ter suas fotos reveladas em papel, suas competidoras; Canon e Nikon ainda não tinham tantas opções para câmeras caseiras digitais e eram as lideres no mercado profissional de fotografia.

A Apple conseguia seu primeiro êxito em câmeras, a lente do iPhone e seus sensores são os melhores em captação de imagem para o que um smartphone pode fazer hoje em dia graças ao esforço de aprimorar o que aquela webcam já prometia.

Foi graças a esse tipo de investimento que os sensores conseguiram melhorar seus resultados e a tecnologia para diminuir os componentes e ganhar qualidade e nitidez nas lentes, hoje ainda evoluímos na busca de melhores imagens, câmeras mirrorless ainda trazem melhores resultados em aparelhos menores e mais leves, mas com sensores poderosos que conseguem captar milhões de pontos de cor e de luz por pixel quadrado.

Câmeras gigantescas não são mais exemplo de nitidez e velocidade de disparo, talvez hoje as melhores câmeras conseguem caber perfeitamente na palma de sua mão e registrar momentos marcantes, como já mostrava o trabalho de Cartier Bressan, o que importa é capturar o momento e isso as câmeras dos nossos smartphones já estão conseguindo perfeitamente bem.

O que talvez não fosse a preocupação da época, mas se tornou uma ameaça invisível nos últimos anos, tenha sido a facilidade em invasão de privacidade e o roubo de dados, talvez fosse surreal existir uma maneira de alguém hackear seu computador e conseguir lhe ver através de sua webcam, coisas que aparecia em filme de ficção ou espionagem. Mas a engenhosidade da iSight Câmera em ser algo a frente do seu tempo era um mecanismo super simples para fazer o usuário se sentir seguro com uma câmera apontando 24/7, uma especia de obturador para tampar a lente de conseguir filmar algo.

Peças como essa nos fazem pensar os pontos de partidas que usamos para as ferramentas que usamos hoje em dia, usamos ideias do passado e aprimoramos para nossas realidades e necessidades atuais, talvez no futuro vejamos para um iPhone X como algo obsoleto assim como uma webcam.

Desde 2006 a Apple não tem mais suporte para esse aparelho, nós nos acostumamos a sempre ter câmera embutidas nos nossos notebooks e smartphones, estamos sendo constantemente rodeados de lentes e nem nos damos conta disso, elas aprenderam a ser discretas e minúsculas, passando desapercebido por nós, e tem sido assim que evoluímos, através da captura dessas maquinas, seja intencional ou involuntário, mas tudo é observado.