cinema

Inner Workings o novo curta da Disney

by março 4, 2017 11:25 am

A Pixar sempre consegue trazer histórias tão emocionantes e cheias de mensagens inspiradoras para filmes infantis, mas antes de começar seus filmes sempre assistimos um curta metragem mostrando as qualidades criativas do estúdio.

Desde Luxo Jr. a Pixar se esforça para subir o nível de suas produções com roteiros originais de curtas que tem ideias geniais e extremamente simples, mas que se encaixam em 10 minutos. Depois que John Lasseter se tornou o diretor criativo de quase todas as produções da Disney e não só da Pixar, todos os filmes que o estúdio vem produzindo atualmente tem esse espirito que ele criou em 1986.

A animação Moana, tem um curta que com a direção de um brasileiro, Leo Matsuda, que também já trabalhou em outras produções como Detona Ralph e Big Hero 6, Leo foi responsável por Inner Workings (Trabalho Interno na tradução para o Brasil).

Com uma premissa parecida Divertidamente, esse curta explora o comportamento humano enquanto razão e emoção, as escolhas do seu cérebro e os impulsos do seu coração, mostrando que se seguirmos nosso cérebro vamos desperdiçar nossa vida sem seguir nossos impulsos procurando a solução mais cômoda.

O que me deixa a refletir sobre nossas vidas, todos os dias vemos pessoas levantarem as cinco da manhã para realizarem as mesmas tarefas todos os dias, levantar, ir pro trabalho, comer, trabalhar, voltar pra casa e dormir nessa mesma sequência todos os dias, enquanto vemos outras pessoas se aventurar procurado novas sensações para agradar os impulsos do coração.

Nesse curta vemos mais um exemplo de como nós estamos deixando a vida passar sem aproveitarmos o tempo procurando viver novas experiências, não que passar algumas horas no escritório seja algo ruim, mas deixar que nosso ambiente de trabalho vá consumir nossa vida dia após dias é algo preocupaste.

O grande desafio das empresas que trabalham com criatividade é transformar o ambiente de trabalho mais leve, por isso vemos escritórios pensados para agradar seus funcionários, um exemplo é a própria Pixar que permite seus funcionários interferir na sua estacão de trabalho para deixar do seu jeito, como uma casa da arvore ou um museu de brinquedos.

O proximo passo depois da revolução industrial e de toda a evolução tecnológica que tivemos, mas talvez seja a hora de humanizar o trabalho mais um vez, transformar o trabalho em qualquer tipo de oficio mais humano e leve, que os ambientes de trabalho não se tornem opressores e as pessoas possam produzir mais com mais qualidade de vida.