personal

O que deu errado com a nossa geração?

by Fevereiro 28, 2018 8:25 pm

A geração Y, os millenials, aqueles que iriam romper o status quo e que rescreveriam o futuro onde homens trabalhariam ao lado de maquinas, 100% conectados, facilitando os processos, usando a inovação ao seu favor. Mas o que deu errado? já que hoje vivemos presos a um tempo cada vez mais reduzido e com altas cargas de trabalho com inumeras contas para serem pagas com a perspectiva de um futuro cinza.

Estamos passando por um período nebuloso onde discursos de ódio voltaram a aparecer e nós temos que escolher lados entre batalhas de argumentos. Me voltei a pensar sobre as coisas que lavamos em nossa bagagem, as coisas que definem nossas afinidades e quem nós acreditamos realmente ser, se há algo que deveríamos nos orgulhar são as pessoas que levamos consigo, em contrapartida vivemos em bolhas que nos afastam cada vez mais de encontrar o balanço entre vida social e vida profissional.

Se você já viu a série Mad Man vai ter uma clara noção de como deve ser uma agencia de publicidade, pois bem; desde os anos 60 (época onde a série se passa) até hoje em dia, a estrutura de algumas agências se matem a mesma, com leves alterações no workflow. O que isso significa? A mecânica de trabalho de varias horas de trabalho entrando pelas altas horas noite, tudo isso pode parecer um sonho quando você quer pertencer a esse universo “criativo”, mas quando foi que nós paramos de levar em consideração as experiencias que temos quando não estamos no trabalho?

Sacrificar minha qualidade de vida em troca de prêmios? Viver o sonho do gênio que com pouca idade conseguiu alcançar um grande feito? Ou ser um pessoa normal entre bilhões de outras que querem apenas trabalhar e poder voltar para sua casa e aproveitar seu tempo?

Os velhos paradigmas de valores são confrontados novamente entre gerações, onde os burocratas dos anos 60 aprecem ter ganhado dos revolucionários de woodstock que queriam apenas duas coisas.

Para as gerações antigas estabilidade e sucesso financeiro era ter um emprego com um cargo burocrático dentro de uma empresa de tradição, mas hoje em dia onde novas startups surgem da noite pro dia com potencial de faturarem bilhões, nessa busca pela empresa perfeita que abra caminho para o sucesso financeiro é o grande sonho americano. Não existe mais um caminho a ser seguido, aquele velho estereótipo do visionário que largou a faculdade e teve uma ideia brilhante é muito arriscado para ser seguido e são muitos o que preferem tomar decisões mais seguras.

Essa é a geração que nos achávamos que seriamos, jovens que iriam trabalhar com mais conforto tendo ideias inspiradoras dentro empresas jovens com capital de inovação e aproveitando mais os momentos e tendo capacidade de poder aprender cada vez mais fazendo algo produtivo, mas em contra partida o que temos hoje são funcionários desmotivados trabalhando nas mesmas coisas que as gerações anteriores já faziam com a grande diferença, o nosso tempo parece ser menor tendo em mente que boa parte da nossa rotina é está conectado a sua vida da internet atualizando seus objetivos digitais: o número de inscritos e seguidores como uma moeda de troca.

Em alguns países se estuda uma nova dinâmica social, se o futuro aponta para que todas as funções sejam automatizadas qual o papel do ser humano? É um fato, estamos obsoletos e precisamos encontrar novas utilidades, consumimos cada vez mais e a conta não irá fechar se não tivermos uma ocupação.

Digital influenciar passou a ser a melhor escolha para diversas pessoas, mas nadar num mar vermelho disputando com outros tubarões não parece mais tão oportuno e promissor, precisamos encontrar novas maneiras de encontrar um capital criativo que nos beneficie sem tirar também a qualidade de vida que tanto lutamos para alcançar.