internet

SXSW: Eu não estava lá

by março 17, 2017 8:54 am

A cada ano o South by Southwest (SXSW) cresce suas atrações e atrai mais público para seus painéis, se tornando uma espécie de San Diego Comic Con para os amantes de tecnologia, inovação e conteúdo.  O evento é dividido em quatro categorias: INTERACTIVE, MUSIC, FILM E COMEDY e está crescendo entre os produtores de conteúdo, publicitários, designer e vários entusiastas que querem acompanhar as próximas tendências e ter insights sobre o futuro.


Outros festivais de design e propaganda como D&AD e Cannes Lions sempre tiveram o intuito de expor trabalhos e apresentar visões sobre o mercado e o futuro da comunicação, mas esses festivais estão perdendo o interesse de um público mais jovem que mistura vários assuntos.

SXSW não é apenas voltado para designers ou publicitários, mas para desenvolvedores, empreendedores, músicos, cineastas e até mesmo YouTubers que querem criar e se inspirar.

Ha alguns anos uma “palavra” definia o futuro na internet, essa palavra era produção de conteúdo, depois de um tempo isso se perdeu e youtube já não é tão novidade assim. Essa febre de buscar o next big thing é a razão por esse festival se popularizar tão rapidamente.

De Casey Neistat a Buzz Aldrin, o festival tem milhões de painéis, exibições de filmes e shows acontecendo ao mesmo tempo, refletindo o que acontece nas nossas vidas com a quantidade de informação que temos que absorver.

Não ter ido para o SXSW me fez enxergar como esse tipo de festival tem a intenção de definir o que as pessoas estão consumindo ou que vão consumir ao longo do ano, o Spotify surgiu lá e esse ano o VR e a Internet nos gadgets foi a grande discussão.

As vezes é preciso criar esse evento para que as inovações inspirem insights para novas coisas, mas porque uma cidade no meio do Texas atrai tanto público para curtir atrações tão variadas?

Ter a oportunidade de ir ao show de uma banda que ninguém conhece ainda, estar em um festival de filmes e poder escolher ver o Blockbuster do verão ou algum filme que pode está no próximo Oscar.

É essa profusão de coisas acontecendo ao mesmo tempo que faz o SXSW ser o atual epicentro da inovação.